EMESP

MENU

Aluno da EMESP é aprovado na Universidade de Salzburgo

05 de setembro de 2017

Poupar dinheiro e aprender um novo idioma pode parecer um grande obstáculo para muitos jovens músicos que pretendem estudar e morar em outro país, mas não para o violinista Vinícius Gomes de Oliveira Sousa que transformou esses desafios em oportunidades. Com apenas 18 anos, já participou de festivais nacionais e internacionais, ganhou concursos no Brasil e no exterior, e aprendeu um novo idioma em apenas um mês.

Natural de São Paulo, o jovem ingressou na antiga Universidade Livre de Música (ULM) – atual EMESP Tom Jobim – aos seis anos de idade. No período em que permaneceu na Escola, de 2004 a 2016, estudou violino com a professora Miriam Cruz, música de câmara com Svetlana Tereshkova e frequentou o 2º ciclo de formação com a professora Inna Meltser Rakevich.

Vinicius também integrou o Grupo Coletivo de Cordas, com o professor Geraldo Olivieri, e a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, sob a regência do maestro Cláudio Cruz. Segundo ele, o incentivo da professora Inna e o apoio de sua família foram fundamentais para que seguisse os estudos fora do país.

O jovem participou de diversos festivais, mas o que mais lhe marcou foi o Ilumina Festival, tendo a violista Jennifer Stumm como organizadora. Ao vencer o Prêmio École Normale Alfred Cortot de Paris em 2016, durante o 47º Festival Internacional de Campos do Jordão, recebeu uma bolsa de estudos de um ano na École Normale de Musique de Paris e se manteve na capital francesa com o dinheiro que guardou da época em que era bolsista da Orquestra Jovem do Estado. No período em que estudou no conservatório francês, prestou um concurso interno e ganhou mais um ano de estudos na École.

Recentemente, Vinicius aprendeu alemão em apenas um mês para poder prestar o teste para a Universidade de Salzburgo, na Áustria, que exige o idioma dos candidatos. O esforço valeu a pena; o jovem foi aprovado e iniciará o bacharelado em violino com a professora Klara Flieder na cidade austríaca em outubro de 2017.

Para Vinicius, estudar em outros países é uma oportunidade incrível que possibilita ao musicista vivenciar outras culturas e conhecer pessoas do mundo todo. Após concluir o bacharelado, o violonista pretende fazer mestrado e doutorado para futuramente poder voltar ao Brasil e trabalhar com educação musical infantil.