EMESP

MENU

Bolsista da Orquestra Jovem é aprovada em universidade da Pensilvânia

10 de maio de 2018

A jovem violista Ryellen Joaquim de Campos começou a estudar música em um projeto social no interior do estado do Rio de Janeiro e hoje comemora a realização de dois grandes sonhos

A violista Ryellen Joaquim de Campos, aluna da EMESP Tom Jobim e chefe do naipe de violas da Orquestra Jovem do Estado, foi aprovada para estudar na Universidade Duquesne, que fica no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. “Esta notícia é grandiosa para mim”, afirma a jovem violista de 24 anos que comemora outra conquista recente: foi a única violista brasileira selecionada para participar da turnê 2018 da YOA Orchestra of the Americas na Europa, que será realizada em julho deste ano.

Apesar de ter recebido uma bolsa para estudar na instituição norte-americana, Ryellen terá que arcar com um alto custo para viver na Pensilvânia pelos próximos quatro anos, que inclui moradia, alimentação e transporte. Por isso, criou uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) e espera poder contar com a ajuda de familiares e amigos para concretizar o sonho de estudar nos Estados Unidos. Quer saber como contribuir? Acesse o link vaka.me/jis8ns

De Campos dos Goytacazes para o mundo

Natural de Campos dos Goytacazes, no interior do estado do Rio de Janeiro, Ryellen despertou para a música aos 10 anos de idade, quando ingressou em um projeto social de sua cidade chamado Orquestrando a Vida e passou a ter aulas coletivas de instrumentos musicais, música de câmara e ensaio de orquestra com o maestro Luis Mauricio Carneiro. Lá, também teve o primeiro contato com a viola. “Foi amor à primeira tocada”, revela. Mais tarde, atuou como monitora, professora auxiliar e maestrina no mesmo projeto que a iniciou na música e pôde compartilhar o seu conhecimento com outras crianças.

Em 2013, conheceu o seu atual professor de viola, Gabriel Marin, que a incentivou a prestar o processo seletivo para ingressar na Orquestra Sinfônica Heliópolis do Instituto Bacarelli. Após receber a notícia da aprovação, mudou-se para São Paulo e permaneceu no grupo durante dois anos até prestar um novo processo seletivo, dessa vez para a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, onde foi aprovada como chefe do naipe de violas.

Para Ryellen, o aprendizado na Orquestra Jovem é infinito, pois considera cada ensaio do grupo uma verdadeira aula. “O maestro Cláudio Cruz compartilha o seu conhecimento conosco e exige sempre o melhor de nós”, afirma. Do momento da aprovação para integrar a Orquestra Jovem para cá, se passaram três anos e, em 2018, a jovem comemora a realização de dois grandes sonhos: a aprovação para estudar na Universidade de Duquesne e ser selecionada para participar da turnê 2018 da YOA Orchestra of the Americas.