EMESP

MENU

Orquestra Jovem recebe o maestro Ira Levin e a mezzo Denise de Freitas

02 de outubro de 2019

A Orquestra Jovem do Estado de São Paulo recebe dois convidados especiais para os concertos do mês de outubro: o maestro norte-americano Ira Levin e a mezzo-soprano Denise de Freitas. O grupo, formado por 90 bolsistas, faz concerto gratuito no dia 12 de outubro, sábado, às 20h, na Sala Palma de Ouro, em Salto/SP, e no domingo dia 13, às 16h, na Sala São Paulo, com ingressos a R$30 e R$15 (meia). Garanta o seu em orquestrajovemdoestado.byinti.com

Sob a regência do maestro norte-americano Ira Levin, o programa abre com a participação da cantora Denise de Freitas em duas peças: Canções de Um Viajante, de Gustav Mahler, e em Três fragmentos da ópera Wozzeck, de Alban Berg. A peça Canções de Um Viajante se baseia em uma compilação de poemas e canções populares alemães de Achim von Arnim e Clemens Brentano. Compostas sob influência de uma desilusão amorosa, as canções sugerem a imagem de um andarilho que, encontrando adversidades, põe-se a peregrinar em solidão pelo mundo.

O programa segue com Três fragmentos da ópera Wozzeck, de Alban Berg. Wozzeck,  que estreou na Ópera Estatal de Berlim em 14 de dezembro de 1925,  é a primeira e a mais famosa ópera do compositor austríaco. Baseia-se na peça (incompleta) do dramaturgo alemão Georg Büchner intitulada Woyzeck.

Vida de Herói, do compositor alemão Richard Strauss, encerra o programa. Composta em 1898, a obra é um poema sinfônico e estreou em Frankfurt, sob a regência do próprio compositor, com um grande sucesso, conforme relato do escritor Romain Rolland: “Vejo pessoas a tremer e quase se levantam em determinadas passagens. No fim, durante a ovação e a entrega de flores, soam os trompetes e as mulheres acenam os seus lenços”.

A obra está dividida em seis partes. A primeira apresenta O Herói que seria o próprio Richard Strauss, que atribui à obra um caráter autobiográfico. O tema seguinte, Os Adversários do Herói, representa as pessoas que dificultam a sua carreira, que o invejam e o criticam. Já em A Companheira do Herói, o violino solo apresenta a mulher do compositor, a soprano Pauline de Ahna, simbolizando a mulher amada e suas nuances. O Campo de Batalha trata da luta pela sobrevivência artística, a batalha diária.

Na seção As Obras de Paz do Herói, Strauss relembra temas de suas obras anteriores como Don JuanAssim Falou Zaratustra e Dom Quixote. Por fim, A Retirada do Herói e Conclusão que traz as memórias de todo o poema, ouvindo-se a recordação dos inimigos no som da flauta, o conflito nos trompetes, a amada no violino, até à retirada do herói ou do próprio compositor.