EMESP

MENU

Guilherme Afonso de Moraes Silva é o grande vencedor do Prêmio Ernani de Almeida Machado

20 de dezembro de 2014

No último domingo, dia 14 de dezembro, foram anunciados os cinco bolsistas vencedores da 3ª edição do Prêmio Ernani de Almeida Machado, em cerimônia realizada na Sala São Paulo. O violoncelista Guilherme Afonso de Moraes Silva, de 17 anos, recebeu o prêmio principal, no valor de R$60 mil, que deverá ser utilizado para o aperfeiçoamento musical em uma instituição de ensino no exterior. Após a premiação, a Orquestra Jovem do Estado realizou concerto de encerramento da temporada de 2014.

                                                            (Guilherme de Moraes ganha pela primeira vez o prêmio – Crédito: Adriana Elias)

“Foi uma grande surpresa. Eu juro que não imaginava que conseguiria conquistar o prêmio principal. Não consigo nem descrever minha felicidade”, conta emocionado. Guilherme é aluno do 2º ciclo da professora Vana Bock.


Essa foi a primeira vez que o jovem participou do Prêmio Ernani de Almeida Machado. Bolsista da Orquestra Jovem desde 2013, ele revela que não sabe em qual instituição pretende estudar. “Eu sempre desejei estudar fora do Brasil. Estou em dúvida entre Berlim e Amsterdã, que são escolas que gosto muito. Esse prêmio é um estímulo para me dedicar cada vez mais, sempre olhando para frente”, completa.


Outros quatro bolsistas também foram contemplados na 3ª edição do Prêmio, recebendo um valor de R$ 15 mil para cada um. Os vencedores foram: Filipe dos Santos Esteves (clarinete), Johann Cardoso Marianno Pereira (trompa), Matheus de Souza Carmo Posso (violoncelo) e Sandra Daniela Mora Valenzuela (percussão).

Bolsista da Orquestra Jovem do Estado desde 2012, Matheus Posso também participou do Prêmio Ernani pela primeira vez. “Eu estudei desde o começo do ano para este teste, mas confesso que não imaginava que fosse conseguir ganhar o prêmio. Agora, pretendo usar o dinheiro em estudos na Flórida, nos Estados Unidos”, revela o bolsista de 19 anos.

Natural de Pindamonhangaba, interior de São Paulo, o trompista Johann Cardoso Marianno Pereira destaca o incentivo que recebe diariamente de seus pais. “Eu estou muito feliz com o prêmio. Vim para São Paulo estudar com o incentivo e apoio da minha família, então dedico esse prêmio a eles que sempre me apoiaram”, destaca.

Vencedor do Prêmio Ernani de Almeida Machado pela segunda vez, o clarinetista Filipe dos Santos Esteves ficou feliz com o resultado. “Isso me serve de motivação para estudar mais ainda em 2015, ano que pretendo entrar em uma universidade aqui no Brasil”, conta.

Bolsista da Orquestra Jovem do Estado desde 2013, a equatoriana Sandra Daniela Valenzuela não esconde a emoção de ganhar um prêmio tão importante fora de seu país. “Quando o maestro falou meu nome, as meninas começaram a me chamar. Eu tomei um susto e não acreditei que tinha ganho. Vim para o Brasil para estudar, pois sabia que aqui tinha estímulo para desenvolver meus estudos. Meus pais não estão aqui, então só vou conseguir contar para eles amanhã”, diz a jovem que está no terceiro ano de graduação pela UNESP.


(Da esquerda para a direita: Filipe, Johann, Sandra, Guilherme e Matheus – Crédito: Adriana Elias) 

Com patrocínio do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados, os prêmios oferecidos têm a finalidade de viabilizar, exclusivamente, bolsas de estudo no exterior ou a aquisição de instrumentos.

A cerimônia foi conduzida pelo Diretor Artístico-Pedagógico da Santa Marcelina Cultura Paulo Zuben e contou com a participação da Diretora Presidente da Santa Marcelina Cultura, Irmã Rosane Ghedin, do Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Marcelo Mattos Araujo, do Sócio Administrativo do Machado Meyer Sendacz e Opice Advogados, Dr. Celso Costa e do Sócio Diretor do Machado Meyer Sendacz e Opice Advogados, Dr. Moshe Sendacz.

Nesta edição, foram selecionados 16 finalistas. Os cinco vencedores foram escolhidos por uma banca examinadora, formada por reconhecidos músicos de diferentes instrumentos, compositores, regentes e jornalistas setoristas da área de música erudita. A audição ocorreu no dia 18 de novembro, na sede da EMESP Tom Jobim.

O patrocínio do escritório Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados ao Prêmio Ernani de Almeida Machado é resultado de uma parceria feita em 2012 com a Santa Marcelina Cultura e visa beneficiar os bolsistas com melhor desempenho da Orquestra Jovem do Estado.

Após a cerimônia, a Orquestra Jovem do Estado realizou concerto especial de encerramento da temporada de 2014, sob a regência de seu diretor musical e maestro titular Cláudio Cruz. O concerto reuniu cerca de 390 jovens, entre instrumentistas e cantores, do programa Guri e da EMESP Tom Jobim para interpretar Carmen Suíte 1 e 2, de Georges Bizet, Um Americano em Paris, de George Gershwin, e Abertura 1812, Op. 49, de Piotr Ilitch Tchaikovsky. O público presente pode apreciar o potencial artístico dos programas de formação musical e inclusão social de excelência promovidos pela Santa Marcelina Cultura.

 

por Marcus Vinicius Magalhães