EMESP

MENU

Orquestra Jovem do Estado abre temporada de concertos em março

17 de fevereiro de 2021

A Orquestra Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, grupo ligado à EMESP Tom Jobim, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, gerida pela organização social Santa Marcelina Cultura, anuncia a nova temporada de concertos em 2021.

Ainda que a recomendação seja o distanciamento social e a realização de concertos para plateia reduzida, o grupo comemora o retorno ao palco sob a batuta de Claudio Cruz, diretor musical e regente titular, e de Ana Beatriz Zaghi, nova regente assistente. A Orquestra celebra ainda a participação de regentes e solistas convidados, como o maestro Rodolfo Fisher, o violinista Renan Gonçalves e a pianista Olga Kopylova.

Serão realizados nove concertos até dezembro e a estreia será no dia 7 de março. Sob o comando de Claudio Cruz, o grupo inicia a temporada interpretando obras de compositoras mulheres: Fanfarra para uma mulher incomum nº 1, da norte-americana Joan Tower, e A menina que virou chuva, da brasileira Valéria Bonafé. Completam o programa o Concerto Dumbarton Oaks em Mi bemol, de Igor Stravinsky, e Música para cordas, percussão e celesta, de Béla Bartók.

Em abril, com regência de Claudio Cruz, a Orquestra apresenta Hyperprism, de Edgar Varése, Bachianas Brasileiras nº 9, de Villa-Lobos; Serenata para sopros, violoncelos e contrabaixos em Ré maior, de Antonín Dvořák; e Sinfonia nº2, de Robert Schumann.

O regente convidado Rodolfo Fisher é quem comanda a Orquestra no mês de maio. O grupo vai tocar a Abertura de Criaturas de Prometheus, de Ludwig van Beethoven; Concerto para violino em Dó maior, Op.48, de Dmitri Kabalevsky; e Sinfonia nº3, Escocesa, op.56, de Felix Mendelssohn. A Orquestra vai dividir o palco com um velho conhecido neste programa: o violinista Renan Gonçalves, ex-bolsista e atual spalla da Orquestra do Theatro São Pedro.

No mês de junho, no Dia dos Namorados, a Orquestra sobe ao palco da Sala São Paulo com a pianista Olga Kopylova. O diretor musical e regente titular, Claudio Cruz, volta a reger o grupo na Abertura de Fidelio, de Ludwig van Beethoven; Concerto para piano nº3 em Dó Maior, Op. 26, de Sergei Prokofiev; Suite Francesa, de Francis Poulenc; Sinfonietta nº 1, de Heitor Villa-Lobos.

Os ingressos custam R$30 (inteira) e R$15 (meia), e estão à venda no site www.orquestrajovemdoestado.byinti.com

#ConcertoEmCasa

A Orquestra Jovem do Estado retornou ao palco em setembro de 2020 após permanecer seis meses em casa cumprindo o isolamento social imposto pelo Governo do Estado de São Paulo para combater a pandemia do Covid-19. Com exceção do primeiro concerto realizado em fevereiro, antes da quarentena, toda a temporada 2020 precisou ser repensada e adaptada para o ambiente digital.

Os convites aos regentes e solistas foram cancelados e quase todo o repertório foi alterado para acompanhar o “novo normal”. Tanto o maestro quanto os músicos e musicistas se reinventaram e juntos lançaram concertos digitais inéditos. A Orquestra retornou aos palcos, mas permanece no ambiente digital. Todos os próximos concertos serão transmitidos ao vivo pelo YouTube da EMESP Tom Jobim. Se inscreva no canal www.youtube.com/tjemesp e acompanhe a temporada 2021 da Orquestra Jovem do Estado!